Postagens

Mostrando postagens com o rótulo letras

Letras da Azul Turquesa

Imagem
  Poema Fúnebre É uma pena Quem para e pensa Acaba sofrendo a pena De uma sentença Semeado em saraiva E terra tenra O brilho do broto  descansa em dor plena Como se o sol desaparecesse  as dezessete e cinquenta E a lua tomasse a cor sangrenta É noite de Halloween É importante para ti  Também para mim  Uma vez no ano os mortos  saem dos túmulos e pisam nos jardins  Do cemitério assim  Marchando de porta em porta com um olhar carmesim  Tolos aqueles que se amedrontam  Com os que aqui já não se encontram  Bendito aqueles que os enfrentam  E assim espantam Os mortos e mortas das portas   É com esse ar febril Com uma canção fúnebre  Que reside o covil  lapidado em azul anil  Talvez não seja necessário  Tomar tanto espaço  O dia é brilhante e há coisas a fazer  Não tem a crer que o tolo sol pode desmerecer Ou entristecer  Afinal só os bravos  andam no anoitecer  E também os atormentados  (Refrão) O astro precisa de um alto astral  O astro reside no antro em espiral  A entropia ou o caracol